Resultado de imagen para nasty coffeeHá uns dias falava do café (“pensamentos bogotanos 1/III”) e da sua qualidade nos hotéis à hora da parva. Dizia daquela que não dou entendido como num país como a Colômbia, um dos maiores produtores deste grão no mundo, podem preparar esta porcaria nos hotéis, mas também em Portugal, onde dizem que se prepara um dos melhores cafés do mundo.

Chegados a este extremo, para evitar que o café servido nos hotéis seja uma merda (e desculpai, mas este é o melhor qualificativo que encontro), creio que nestes países (se calhar, também na Itália e no Brasil), deveria haver tribunais especiais para julgar a qualidade do café servido nos hoteis. Não é brincadeira, porque o café vos é um direito humano, portanto, quem preparar mau café, está a desrespeitar a necessidade de ter uma boa parva. Trata-se, já que logo, dum crime. E quem cometer crime, tem de ser julgado. A lógica é evidente.

Nesse caso, estes tribunais deveriam estar compostos nem só por juízes comuns, mas por juízes com formação cafeteira, afim de imporem penas justas àqueles que servam cafés tão fracos que a dignidade humana fique pelo chão, ou bem se o produto servido for equiparável a água que fica depois de o chão ser esfregado. Dizei se isso não é um crime que mereça ser julgado, dizei!

Advertisements