Resultado de imagen para guardia seguridad bogotáBogotá é a cidade com mais guardas de segurança por habitante. Em cada negócio há um, por norma pequenino, ocupa pouco espaço, mas tem um uniforme vistoso. É bem sabido que quando a um homem comum pões um uniforme, o homem comum crê-se um superhomem comum, que é o mais parecido com um superherói. Alguns até levam cassetete, mas não dou imaginado um deles a manejar tamanho aparato repressivo (nalgum caso tem a metade da sua estatura) e até penso que, se chegar o caso, iam ser como os porquinhos do conto da infância, quando constroem a casa de palha, vem o lobo, sopra e a casa voa pelos ares, isto é, o guardinha, duma losqueada, voaria pelos ares. Parece, já que logo, que estamos a falar de guardas ornamentais, como os anões dos jardins, mas esses, ao menos, põem medo.

Portanto, a reflexão principal é que, se há tanto guarda nesta cidade e o índice de delinquência é tão alto, significa isto que o país fica dividido entre delinquentes e guardas de segurança? Poderá haver pessoas que sejam ambas as cousas ao mesmo tempo? Como um passa a pertencer a um grupo ou ao outro, por genética, por situação económica, pelo tom da voz? Existem ainda pequenos estratos da população que não pertencem a nenhum desses dous grupos? Terá tudo isto algo a ver com o romance “1984” de Orwell? E ainda uma última pergunta: que papel tem em tudo isto a qualidade do café? Muitas perguntas e nenhuma certeza.

Advertisements